Rotas do Vento Rotas do Vento


Peru: Do Lago Titicaca a Machu Picchu e à Amazónia

Programa resumido Programa Detalhado

D1: Lima
Voos Lisboa-Lima, transporte para o hotel. 

D2Puno
Voo para Juliaca, seguido de transporte para Puno (3855m), na margem do lago Titicaca. Pa

D3: Lago Titicaca
Partida matinal para a ilha de Taquile no lago Titicaca, um dos lagos navegáveis mais elevados do mundo (3820m). De caminho, visitamos as curiosas ilhas flutuantes de Uros, que são formadas por múltiplas camadas de juncos (totora) assentes sobre o fundo do lago. Você irá caminhar sobre uma delas e sentirá o solo esponjoso ceder sob os seus passos. Veremos os pescadores lançando as redes dos seus botes construídos de juncos. Depois de desembarcarmos em Taquile iremos explorar a ilha e conhecer as condições de vida muito simples do seu povo agrícola e pescador que fala quechua. De notar que todos os homens vestem de igual: barrete branco, colete e faixa à cintura.Toda a ilha está coberta com socalcos cultivados e encontram-se ruínas incas sobre as colinas; não existem veículos (nem mesmo bicicletas) nem há electricidade. Pa

D4: Cusco
Viagem em autocarro de turismo para Cusco (3400m).

D5: Pisac, Ollantaytambo
Partida matinal para Pisac no Vale Sagrado. Esta é uma aldeia andina muito típica que conserva a maior cidadela do império inca. Aí veremos uma boa variedade de exemplos arquitectónicos incas respeitantes à defesa, religião, agricultura, residências e estradas. A zona mais nobre conserva os templos do sol e da lua, os banhos litúrgicos e o sempre presente Intihuatana, a rocha talhada com finalidades astronómicas, que é o elemento mais importante de qualquer complexo religioso inca (Inti = sol). Seguimos para o seu mercado. Muitos nativos vestem roupas tradicionais muito coloridas e teremos uma experiência muito pitoresca, sobretudo no mercado onde as pessoas são mais castiças. 
Depois viajaremos para Ollantaytambo, que costuma ser chamado de Fortaleza devido à grande dimensão dos seus muros, e é uma obra monumental da arquitetura inca, sendo a única cidade da era inca no Peru ainda habitada. Mantém os mesmos arruamentos pré-colombianos e os antigos nomes dos seus bairros. A sua magnífica fortaleza, sobre a aldeia, foi um dos últimos redutos de resistência contra os conquistadores espanhóis (1539). Na época, uma parte dos templos estava ainda em construção e encontraremos várias pedras cansadas, grandes blocos extraídos das pedreiras a 6 km daqui e que nunca chegaram ao seu destino. Todo o complexo fortificado está construído em íngremes socalcos, situando-se os seus templos mais nobres no topo.
Nos seus palácios vivem os descendentes das casas nobres de Cusco. Os pátios mantêm a sua arquitetura original. Esta cidade constituiu um complexo militar, religioso, administrativo e agrícola cuja entrada é feita pela porta chamada Punku-punku. Veremos o seu Templo do Sol, as encostas do monte talhadas com inúmeros socalcos, bem como os silos, e passearemos nas suas ruas muito ordenadas onde se encontram ainda as fontes originais brotando água. Hotel em Ollantaytambo. Pa

D6Caminho IncaLlulluchampa 
Transporte para o vale do rio Cusicacha. A paisagem é espectacular pois as vertentes verdejantes das montanhas descem abruptamente para o rio. Este é um vale muito tranquilo com raros povoados onde os seus habitantes cultivam cevada, milho e quinoa, o cereal típico dos Andes. Passamos Huayllabamba, uma aldeia circundada de verdes campos agrícolas com uma escola, e desviamos para o vale Llullucha onde a subida se torna mais íngreme. O carreiro atravessa agora uma floresta semi-tropical muito viçosa e densa com lianas e cabeleiras vegetais pendendo das ramagens.
Chegados aos bonitos prados de Llulluchampa paramos, na borda do planalto, para admirar os cumes nevados em redor e as imponentes falésias rochosas acima de nós. O acampamento situa-se pouco mais acima (3680m) (5h). Pa,A,J 

D7Caminho IncaPacamayo 
Subida ao colo Huarmihuañusca (4200m), o colo da Mulher Morta e o ponto mais elevado deste percurso. Daqui teremos uma espectacular vista sobre longínquas montanhas e cumeadas e veremos a calçada inca serpenteando para o vale e subindo depois para o colo seguinte. Com sorte poderemos observar algum taruca, o gamo dos Andes, nestas encostas. Passamos por algumas cabanas de pedra em Pacamayo e iremos acampar mais adiante (3500m) (6h). Pa,A,J 

D8Caminho IncaHuañay Huayna 
Seguiremos agora um carreiro panorâmico que, subindo, nos conduz ao curioso observatório e posto de vigia Runcurakay com as suas típicas paredes semi-circulares e janelas trapedoizais. Daqui poderemos ver toda a extensão do caminho inca desde o colo Huarmihuañusca. Continuamos a subir até ao colo Runkurakay (3950m) passando pelas lagoas gémeas de Yanacocha.
Pouco depois de iniciarmos a descida chegamos a uma das edificações mais interessantes deste percurso: Sayacmarca, a Cidade Dominante (ou Inacessível), situada num esporão rochoso que domina todo o vale Aomarca bem como o caminho inca que desce do colo Runkurakay. Está construída em diversos níveis dominados por uma edificação cuja parede, de janelas trapezoidais, tem uma forma parabólica e inclina para o interior. O seu sistema de canalização de água está praticamente intacto com um longo aqueduto exterior que fornece quatro tanques de banhos rituais.
Continuamos a descida para o vale passando por Conchamarca, um conjunto de cabanas envolto por uma parede exterior, e pelo Lago Seco de Chakikocha.
Seguindo um carreiro muito panorâmico que atravessa vegetação densa, passamos um túnel de 20 metros laboriosamente escavado na falésia com escadarias talhadas - chegamos ao último colo (3800m) para depararmos com uma espectacular vista das florestas do vale de Urubamba e de inúmeros cumes nevados, a destacar o Salcantay (6180m), o Pumasillo (6000m), o Palcay (5600m) e o Verónica (5750m).
Adiante visitaremos Puyutamarca (3750m), Cidade nas Nuvens. Acompanhando o relevo, tem uma forma piramidal onde se destacam seis recintos de banho ritual, sendo o primeiro o mais importante. É de notar que o largo cimeiro de rocha foi aplanado manualmente. Todas as suas construções são ovóides ou circulares. Daqui inicia-se uma escadaria descendente de 1300 degraus (descoberta há 10 anos), muitos deles escavados na rocha, que conduz a outro importante centro religioso: Huañay Huayna, Sempre Jovem. Rodeadas de inúmeros socalcos agrícolas, as edificações estão dispostas em linha subindo a íngreme vertente. Possui dez recintos de banhos litúrgicos atestando a sua importância, correlacionada com a proximidade de Macchu Pichu. Acamparemos em Huañay Huayna (3900m) (7h). Pa,A,J 

D9Caminho IncaMachu Pichu, Cusco
Hoje teremos de acordar muito cedo para chegarmos a Machu Pichu antes da chegada do primeiro comboio de turistas. Seguimos através da floresta tropical pela calçada, muito panorâmica, observando inúmeras coloridas borboletas até que chegamos a um conjunto de ruínas num estreito colo: Intipunku, o Portão do Sol. Daqui avistamos a magnífica cidade secreta dos Incas, Macchu Pichu, estendendo-se abaixo de nós (2h).  
A cidade está dividida num sector agrícola, com inúmeros socalcos que cobrem todas as suas vertentes, e num sector urbano. A zona elevada deste constitui o bairro nobre com residências, palácios e templos, além da pia principal para abluções. Todas as suas edificações apresentam um excelente trabalho de cantaria, a destacar o Templo do Sol, e a pirâmide no cimo da qual se encontra um belíssimo Intihuatana esculpido na rocha. Do outro lado da praça encontram-se os grupos de habitações dos artesãos e agricultores, militar e administrativo, as prisões e os armazéns. 
Autocarro para Águas Calientes onde poderá tomar um banho nas suas quentes águas termais (opcional), daqui seguiremos de comboio para Cuzco. Pa
Nota: O caminho inca é acessível a todos desde que gozando de boa saúde e com capacidade para caminhar em carreiro até 7h diárias. Este tempo é repartido de manhã e de tarde com pausa larga a meio do dia para almoço. Durante o caminho também se fazem pausas para admirar e para fotografar. O grupo é conduzido por um guia de montanha acreditado no parque e é assistido por carregadores e por cozinheiros. Durante o dia só precisará de carregar objetos que lhe farão falta na etapa.
Recomenda-se que se inscreva com a maior brevidade pois há um limite numérico diário de frequência no Caminho Inca que costuma esgotar muito cedo.

D10: Cuzco
Dia livre na antiga capital inca com os seus vestígios arqueológicos e ricos monumentos espanhóis. Sugerimos a visita do Parque Arqueológico de Sacsayhuaman, a massiva fortaleza de três muralhas em zig-zag construída com blocos imensos (o maior mede 8.5 mtr de altura e pesa 361 toneladas!), sendo considerado um dos mais impressionantes monumentos megalíticos do mundo antigo. Veremos os vestígios dos seus três torreões e suas condutas de água, o reservatório, o trono do inca e inúmeros rochedos esculpidos com fins religioso; Tambomachay, o Banho do Inca, local reservado às abluções dos incas onde a água é canalizada através de condutas para um tanque; Puca Pucara um conjunto de estalagens que serviu para albergar viajantes, seus animais e mercadorias. Mais à frente deparamos com o santuário de Qenco, que nos demonstra uma das mais interessantes características da arte religiosa inca: a escultura de rochedos aproveitando a sua forma. Aí encontramos o famoso zig-zag onde se canalizava o sangue dos sacrifícios, o condor, o puma e dois cilindros que serviriam para fins astronómicos. O interior das cavernas era utilizado para fins cerimoniais e está finamente talhado com escadarias, nichos, altares, etc; Passeio nos seus bairros típicos, a destacar o bairro dos artesãos, apreciando a excelente arquitectura colonial espanhola bem como os vestígios de antigos palácios incas, a salientar a Plaza de Armas com a sua catedral e museu, a igreja de San Blas e os típicos quarteirões em redor. Pa - Pa

D11 D12Amazónia
Voo para Puerto Maldonado, seguido de um transporte de autocarro e depois canoa. Navegaremos 35 km no rio até à nossa estalagem situada na sua margem. Alojaremos em bungalows construídos com materiais locais e protegidos do exterior com redes mosquiteiras. Devido ao local ser remoto não há água quente e a água para beber tem de ser adquirida. A eletricidade também é muito limitado pelo que deveremos levar todos os nossos aparelhos já carregados. À noite, as zonas públicas da estalagem são iluminadas com lamparinas a óleo: a receção, a sala de jantar, o bar. Durante dois dias iremos caminhar na floresta com guia nativo especialista nas flora e fauna. Ele explicará sobre as aves locais, as plantas medicinais, e falará sobre o equilíbrio ambiental na selva amazónica. Passaremos a selva densa e chegaremos a zonas de pântano. Ele irá mostrar-nos árvores gigantes com muitos metros de diâmetro e uma idade estimada em 450 anos. Visitaremos Cochita Caiman (Lago do Caiman) e iremos detetando animais ao longo do caminho.
No dia seguinte faremos outra caminhada na selva e iremos a um miradouro de onde poderemos observar a fauna das copas das árvores: papagaios, guacamayos, tucanos, camungos, garças e outros. No lago veremos a otária gigante, tartarugas e caimans.
Depois de almoço navegaremos de barco no rio Madre de Dios até à ilha dos Macacos. No caminho iremos observando os caimans. Desembarcaremos na ilha e iremos observar várias espécies de macacos: os ‘maquisapa’, ‘Martins’ brancos e pretos, ‘Leoncito de la Selva’ (leõezinhos), ‘Frailes’ (frades), ‘Achuñis’, ‘Ronsocos’ e uma grande diversidade de aves lacustres. A,J - Pa,A,J
Nota: não é possível alojar em quarto individual.

D13Lima
Acordamos ao som dos ruídos diversos da selva e depois do pequeno almoço viajaremos para Puerto Maldonado de onde voaremos para LimaTarde livre para explorar a cidade. Lima foi fundada pelo conquistador Francisco Pizarro em 1535 depois de dominar os incas. Se houver tempo livre poderemos visitar o museu do Ouro, o museu da Inquisição, as Catacumbas sob a igreja de S Francisco. Há duas praças importantes: a Plaza de Armas e a Plaza San Martin. A Plaza de Armas contém a Catedral, o palácio Municipal e o palácio Presidencial onde a guarda é rendida todos os dias às 12h. Pa

D14-D15: Transporte para o aeroporto para os voos de regresso a Lisboa.
  • Preço: desde Eur 3880 por pessoa (voos incluídos).
  • Partidas: Jun 23-Jul 7, Jun 30-Jul 14, Jul 7-21, Jul 14-28, Jul 21-Ago 4, Jul 28-Ago 11, Ago 4-18, Ago 11-25, Ago 18-Set 1, Ago 25-Set 8, Set 1-15, Set 8-22, Set 15-29.
  • Dificuldade: 3

Sugestões de Programas Alternativos:
th_khumbu0045_1471192879.jpg
Preço: desde Eur 2740 por pessoa (voos incluídos)
th_yumbulhakhang_1243424936.jpg
Preço: desde Eur 4560 por pessoa (voos incluídos)

th_butao0036_1478375434.jpg
Preço: desde Eur 4360 por pessoa (voos incluídos)
th_australiab00001_1410800635.jpg
Preço: desde Eur 4140 por pessoa (voos incluídos)
th_cabanff002_1397735034.jpg
Preço: desde Eur 3680 por pessoa (voos incluídos)

th_eupan_1243425331.jpg
Preço: desde Eur 3660 por pessoa (voos incluídos)
th_rutra00014_1355224506.jpg
Preço: desde Eur 6060 por pessoa (voos incluídos)
th_mekong_delta_river_1359057106.jpg
Preço: desde Eur 4480 por pessoa (voos incluídos)

th_costarica0015_1437411565.jpg
Preço: desde Eur 4140 por pessoa (voos incluídos)
th_campechemexico_1463354062.jpg
Preço: desde Eur 4380 por pessoa (voos incluídos)
th_r66monument_valley_1473785897.jpg
Preço: desde Eur 4640 por pessoa (voos incluídos)

th_sacsayhuaman_view_1485432725.jpg
Preço: desde Eur 4440 por pessoa (voos incluídos)
th_13_tejedora_de_llachon__1489169961.jpg
Preço: desde Eur 3640 por pessoa (voos incluídos)
th_1203663609_47_1513083885.jpg
Preço: desde Eur 4860 por pessoa (voos incluídos)


Testemunhos
Do Lago Titicaca a Machu Picchu e à Amazónia, Peru